RESENHA

O Sol é para todos

10:44Oliver Fábio

Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é O Sol é para todos, escrito pela Harper Lee. O Sol é para todos foi lançado originalmente em 1960, e relançado no Brasil  em 2015, pela Editora José Olímpio, que faz parte do Grupo Editorial Record.

A história se passa na década de 30, numa cidadezinha dos Estados Unidos chamada Maycomb, e é narrada em primeira pessoa por Scout, uma garotinha órfã de mãe, filha do advogado Atticus Finch e irmã mais nova de um garoto chamado Jem.

 A história começa quando Scout tinha mais ou menos 6 anos, e Jem, quase 10, época em que ela começou a ir para a escola. Nas férias de verão daquele ano, os irmãos conheceram Dill, o pequeno sobrinho da srta. Rachel, uma vizinha. O trio passou a brincar sempre juntos, e o que mais intrigava as crianças era Boo Radley, um vizinho que nunca saía de casa e nunca era visto por ninguém, era quase uma lenda na cidade. A casa Radley era vista como assombrada pelas crianças, que bolavam mil planos para descobrir se Boo realmente estava lá dentro.

 Tudo ia bem, até que Atticus Finch foi designado para fazer a defesa de um negro acusado de estuprar uma mulher branca. Grande parte da população ficou revoltada por Atticus estar defendendo um negro, e essa revolta acabou respingando nas crianças. E é na expectativa desse julgamento e no que acontece depois dele, que a história se desenrola.

 "- Scout, quando chegar o verão, você vai precisar ter calma diante de coisas piores... Sei que não é justo com você e com Jem, mas às vezes temos que encarar as coisas da melhor maneira possível e saber como nos comportar quando as coisas vão mal... bom, só posso dizer que, quando crescerem, talvez se lembrem disso com alguma compaixão e percebam que não os decepcionei. O caso de Tom Robison é algo que concerne ao âmago da consciência humana. Scout, eu não poderia ir à igreja e louvar a Deus se não tentasse ajudar esse homem.
 - Atticus, você deve estar enganado...
 - Por quê?
 - Quase todo mundo acha que está certo e que você é que está errado.
 - Essas pessoas certamente têm o direito de pensar assim, e têm todo o direito de ter sua opinião respeitada - considerou Atticus. - Mas antes de ser obrigado a viver com os outros, tenho de conviver comigo mesmo. A única coisa que não deve se curvar ao julgamento da maioria é a consciência de uma pessoa." (página 135)

 Pelas resenhas que já tinha visto de O Sol é para todos, confesso que esperava uma narrativa mais pesada, e me surpreendi ao encontrar uma história delicada, sensível, tão linda e gostosa de se ler. Ao descrever a rotina de Scout, mostrar os fatos pela voz dela,  Harper Lee conseguiu me envolver e me emocionar.

 Gosto muito de histórias que tenham irmãos (talvez porque eu tenha quatro), e ver a relação de Scout com o irmão mais velho, vê-los crescendo ao longo dos quase três anos em que se desenvolve a trama, ver as brincadeiras, os desentendimentos, a cumplicidade e o companheirismo tão característicos entre irmãos, foi muito bom.

 "- (...) Olha, Jem, eu acho que só existe um tipo de gente.
 - Eu também achava isso - ele disse, por fim -, quando tinha a sua idade. Se só existe um tipo de gente, por que as pessoas não se entendem? Se são todos iguais, por que se esforçam para desprezar uns aos outros?" (página 283)

 Atticus Finch com certeza é um dos personagens mais marcantes do livro. Tentando criar os filhos da melhor forma possível, tentando ser um bom exemplo para eles, acaba dando lições muito importantes ao leitor.

 "- Você preferia não ter que fazer isso, não é?
 - É. Mas depois não teria coragem de encarar os meus filhos. Você sabe o que vai acontecer tanto quanto eu, e espero que Jem e Scout passem por isso sem sofrimento e principalmente sem pegar essa doença tão comum em Maycomb. Como pessoas razoáveis ficam possessas quando se trata de qualquer coisa relacionada com um negro eu nunca vou entender... Só espero que Jem e Scout venham me procurar quando quiserem respostas em vez de ficarem dando ouvidos ao que se fala pela cidade. E que confiem em mim..." (página116)

 O mundo seria um lugar bem melhor, se mais pais educassem seus filhos como Atticus Finch!

 "(...) Coragem é fazer uma coisa mesmo estando derrotado antes de começar - prosseguiu Atticus. - E mesmo assim ir até o fim, apesar de tudo. Você raramente vai vencer, mas às vezes vai conseguir."(página 143)

 O Sol é para todos mostra como o racismo, infelizmente ainda presente nos dias de hoje, era forte no século passado. A discriminação chegava em níveis espantosos, fazendo com que grandes injustiças fossem cometidas. Mas não é só sobre o racismo que o livro fala, e sim sobre toda forma de discriminação e preconceito com quem é diferente e não se enquadra em padrões pré-determinados pela sociedade.

 " - (...) Ouvi quando ela disse que estava na hora de alguém dar uma lição neles, que estavam indo longe demais, daqui a pouco iam querer casar com brancos. Jem, como uma pessoa pode detestar tanto Hitler e depois falar isso de alguém daqui mesmo...?" (página 307)

 A questão do papel da mulher também é retratada no livro, com a tia de Scout querendo que a garota se comporte de uma forma, enquanto a menina prefere ser uma criança ativa. E é interessante observar como era o mundo na época em que se passa a história, na época da primeira publicação e traçar um paralelo com os dias de hoje. O Sol é para todos tornou-se um clássico, e continua conquistado leitores atualmente ao permitir que, ao longo dessas cinco décadas, cada geração possa fazer a sua interpretação da obra.

 "Tia Alexandra era obcecada pelas minhas roupas. Como eu podia querer um dia ser uma mulher elegante usando suspensórios masculinos? Quando eu disse que usando vestido eu não conseguia fazer nada, ela retrucou que eu não devia fazer nada que exigisse calças compridas. (...) Além disso, eu deveria ser um raio de sol na vida solitária do meu pai. Respondi que qualquer pessoa podia ser um raio de sol mesmo usando calças compridas, mas minha tia disse que eu tinha de me comportar como um raio de sol também, que eu tinha nascido uma boa menina, mas ia piorando a cada ano. Ela me ofendeu e me deixou muito irritada, mas, quando contei a Atticus, ele disse que na família já tinha muito raio de sol e que eu podia continuar do jeito que era, que estava bom para ele." (página 108)

 Somente ao finalizar a leitura, pude compreender o motivo de O Sol é para todos ser uma obra de tanto sucesso, ter ganhado o Prêmio Pulitzer de literatura e inspirado um filme homônimo ganhador do Oscar. As primeiras páginas não me conquistaram, não consegui gravar o nome e as características de alguns personagens secundários, e mesmo assim avaliei o livro com cinco estrelas no Skoob e marquei como favorito. Tudo isso porque no capítulo final, a autora conseguiu me fazer ficar com lágrimas nos olhos, me fez sentir como se o mundo parasse e eu só visualizasse a cena que estava escrita naquelas páginas, a cena que "deixou meu coração aquecido".

 Foi interessante perceber como algo que era dito em um certo capítulo, voltava a ser importante e a fazer sentido em outro capítulo. Marquei vários trechos do livro que gostei, e foi bem difícil selecionar só alguns para a resenha, mas talvez o mais marcante e que tenha passado a melhor lição do livro para as nossas vidas, seja o trecho abaixo:



 "- Em primeiro lugar, Scout - ele disse -, se aprender um truque simples, vai se relacionar melhor com todo o tipo de gente. Você só consegue entender uma pessoa de verdade quando vê as coisas do ponto de vista dela." (página 43)





 Achei a capa dessa edição muito bonita, com uma cor vibrante e uma textura aveludada. A diagramação é simples, com margens, espaçamento e letras de bom tamanho; as páginas são amareladas e é possível contar nos dedos de uma só mão os erros de revisão.

Detalhes: 364 páginas, ISBN-13: 9788503009492, Skoob. Onde comprar online: AmericanasSaraiva.


Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado da resenha. Deixo meu agradecimento ao Grupo Editorial Record por me dar a oportunidade de ler uma obra tão marcante. E recomendo que quem ainda não leu O Sol é para todos, leia!
____________________________________________________________________________________________________________________


TEXTO CEDIDO POR  Maria Leite
 DO BLOG PÉTALAS DE LIBERDADEACESSE E ENCONTRE ÓTIMAS LEITURAS. 

Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria? Colabore com o autor clicando aqui!

____________________________________________________________________________________________________________________

Em breve o lançamento do livro:
 E O CÉU DE MIRAMAR? de Oliver Fábio
 em setembro

Você vai gostar também

2 comentários

  1. Que honra ver meu texto aqui :) , ainda mais algo sobre um livro que gostei tanto, tanto, tanto ♥ !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço por você ter liberado esse texto para o site.

      Obrigado e abraços.

      Excluir